Episódio 03 – Positivismo – Auguste Comte / Música: Carta aos missionários

Como vimos, a filosofia positivista de Auguste Comte pode ser resumida no lema: "O Amor por princípio e a Ordem por base; o Progresso por fim". Ou seja, para o autor, uma sociedade só pode progredir se estiver plenamente ordenada com base em sua racionalidade objetiva, com seus indivíduos colaborando entre si, guiados por um amor altruístico. Para esse ordenamento, com base na racionalidade, excluem-se totalmente todas as experiências ligadas ao sobrenatural, místico e religioso, esvaziando-se o ser humano de sua dimensão transcendental. A canção ‘Carta aos missionários’ faz uma dura crítica a esse modelo de pensamento que credita ‘progresso’ a um desenvolvimento meramente científico, econômico e tecnológico, mas que não leva ao altruísmo. Ao contrário, continua promovendo guerras e destruição.

Em um modelo etnocêntrico (a sua cultura é tomada como critério para julgar as demais) uma pessoa que mora em Porto Alegre é mais desenvolvida do que outra pessoa que vive em uma aldeia Guarani de Salto do Jacuí. Mas você já parou para pensar quais são os critérios para definir o que é progresso ou desenvolvimento? Quais aspectos são mais importantes para a vida humana? Em seu julgamento, a ideia de progresso pode ser definida a partir de uma ideia positivista (filosofia de Comte, não confunda com positividade) ou ela precisa também dar conta das questões humanas e subjetivas como as crenças, religiosidades e espiritualidades? Imaginemos uma pessoa que vive em uma cidade grande com as pressões, barulhos e limitações de uma vida absorvida entre o tráfego e concreto, que deseja estar em contato com a natureza e com a simplicidade de uma vida sem as tensões da sociedade moderna. Essa pessoa é atrasada ou evoluída? O que define a ideia de progresso e desenvolvimento para você?