Sociologia%20ao%20Rock%20digital%20publi
Untitled-122.jpg
Sociologia%20ao%20Rock%20digital%20publi
Untitled-122.jpg
Untitled-122.jpg

Episódio 08 – O mito de Sísifo – Albert Camus / Música: A revolta dos Dandis

     Na interpretação do mito de Sísifo oferecida a esse projeto, associamos o destino do personagem mitológico ao de pessoas que, na condição de vida da sociedade moderna, vivem o castigo da não significação e a falta de sentido no que fazem. Como se estivessem sendo penalizadas, muitas pessoas carregam pesados fardos em seu cotidiano, executando tarefas dolorosas e repetitivas numa completa e permanente condição de submissão e enclausuramento.

 

     Quando relacionamos isso ao trabalho, podemos perceber, de uma forma bem tangível, a condição de estar vivendo uma realidade distante daquela pretendida. Embora, para a sociologia, o trabalho seja gerador de riqueza social e atribuidor de identidade ao indivíduo, uma pesquisa[1] realizada em 2018 aponta que 90% das pessoas estão infelizes em seus trabalhos. O que torna isso preocupante é que passamos a maior parte do dia e de nossos dias no trabalho.

Essa ou outras pesquisas do gênero mostram o quanto o trabalho não é o motivador de realização e satisfação. O trabalho parece ser apenas um instrumento para se conquistar aquilo que desejamos. Em outras palavras: um meio de obter dinheiro para realizar ações que de fato nos satisfazem (viajar, comprar, ir ao cinema, festas, etc...), assim o trabalho não é realização em si, mas um instrumento para se alcançar uma realização. Na perspectiva de Sísifo, o trabalho é o castigo interminável e sem sentido realizado com vistas à conquista de pequenas ilusões que mantém o indivíduo conformado e obediente a um modelo que não o realiza.

     

     Como exercício, propomos discutir as relações do mercado de trabalho, suas dificuldades e oportunidades e, se possível, debater em grupo algumas questões como: Se muitas pessoas não gostam do trabalho que realizam, por qual motivo continuam a exercê-lo? Quais as limitações que as impedem de trocar de carreira? Você já está trabalhando? Em quê? Por quê? É feliz com o que faz? Você se realiza em seu trabalho? Pretende continuar fazendo isso? Quais são seus planos de carreira profissional? O que você procura nela? Esse trabalho lhe atribui significado? As coisas que você mais gosta de fazer estão incluídas nesse trabalho?

 

     Para concluir, examine as palavras de Camus retiradas do livro “O mito de Sísifo” e avalie se elas correspondem ou não com seu ponto vista sobre o que fora discutido: “As pessoas se habituam muito depressa. Querem ganhar dinheiro para viver felizes, e o máximo esforço, o melhor de uma vida se concentram nesse ganho. A felicidade é esquecida, o meio tomado como fim.”[2]

 

 

[1] Pesquisa realizada em 21 estados pelo consultor de carreiras Fredy Machado. "https://extra.globo.com/economia/emprego/no-brasil-cerca-de-90-estao-infelizes-no-trabalho-22780430.html

[2] http://bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br/services/e-books/Albert%20Camus-2.pdf